DESTAQUES

Os verbetes em destaque são representativos para a história da denominada Escola Tropicalista Baiana. Embora tenha recebido esta denominação, a Escola Tropicalista Baiana, não se constituiu propriamente como uma instituição de ensino formal. Em 1865 John Ligertwood Paterson, médico de origem escocesa, instituiu, em sua residência em Salvador, a realização de palestras noturnas, duas vezes por mês, nas quais havia a participação de alguns colegas de profissão. Participaram destas reuniões inúmeros médicos, cirurgiões e professores da Faculdade de Medicina da Bahia como Antonio Januario de Faria, Antonio José Alves, Otto Edward Henry Wucherer, José Francisco da Silva Lima, Manuel Maria Pires Caldas, Antonio Pacífico Pereira, Manuel Victorino Pereira, e outros. De acordo com Silva Lima, foi no ambiente destas palestras noturnas que surgiu a idéia, em 1866, da publicação da Gazeta Medica da Bahia, que foram discutidos os estudos micrograficos sobre a hipoemia intertropical (opilação ou cansaço), que Wucherer descobriu pela primeira vez a hemato-quiluria e a filaria nas urinas quilosas (filaria Wuchereri), e que foi discutida a moléstia identificada como beriberi indiano. O nome de Escola Tropicalista Baiana lhe foi atribuído posteriormente, e popularizado sobretudo a partir da obra de Antônio Caldas Coni, intitulada "A Escola Tropicalista Baiana" (1952).

Escola Tropicalista Baiana
John Ligertwood Paterson
Otto Edward Henry Wucherer
José Francisco da Silva Lima
Antonio Pacífico Pereira